Então, brilha, Cazares!

Publicado em Atlético, Futebol
Foto: Bruno Cantini / Atlético / Divulgação

(Por Vinícius Andrade)

Eu já havia desistido de você, mas na noite desta segunda-feira voltei a me encher de esperança. Por que você brinca tanto com o coração da Massa? Afinal, quem é você? Um meninão que veio pegar as novinhas de BH e espalhar os nudes pela internet ou um craque promissor que pode nos conduzir ao bi da Libertadores? Se um bom editor produzir seu DVD, os europeus terão certeza de que és o novo Pelé.

Todavia, não esperamos tudo isso. Basta ser o Cazares que correu os 90 minutos contra o Tupi e não se escondeu do jogo. Como disse Roger Machado, não precisa ser nota 9 em todas as partidas, basta não tirar menos que 7. Só queremos compromisso, porque o talento Deus já lhe presenteou. E parem de insistir com esse papo de 10 clássico. O último dessa espécie encontra-se no estaleiro do Grêmio e por lá deve se aposentar. Os anos 90 se foram, agora é apostar no moleque que temos.

Se o Roger conseguir espremer o caldo desse menino, eu já o coloco na prateleira dos grandes técnicos que passaram por aqui. Não espero que um jovem de 24 anos, com fama, dinheiro, morando longe da família numa cidade grande, viva concentrado em casa esperando o treino de cada dia. Mas é possível e necessário equilíbrio e maturidade para um homem de 24 anos que veste a camisa do maior clube de Minas.

O jeito Juanito de ser diz um pouco sobre a bipolaridade peculiar do atleticano. É Bolsonaro ou Jean Wyllys, #ForaTemer ou #Lula18, Toddy ou Nescau, Mundial ou Série B. Há uma semana, na atuação pífia diante do Godoy Cruz, o Galo não passaria da fase de grupos. Já contra o Tupi, o campeão estava de volta.

Como avaliar, então, o trabalho de Roger? Em construção. Não é possível tirar qualquer conclusão até o momento. O Galo voltou a despontar no cenário nacional/internacional quando decidiu manter Cuca após seis derrotas seguidas e um revés de 6 a 1 para o maior rival. Então, quando ouvir um burburinho questionando o trabalho de Roger, suspeite. Pode ser algum torcedor azul infiltrado.

Títulos são as maiores glórias de um clube, mas eles podem trazer um ingrediente perigoso: a gourmetização da torcida. Sintomas disso são vaias no início do jogo, corneta no Twitter e implicância com um treinador que mal começou o trabalho. Tenho certeza que isso não vai acontecer por aqui. Avante, Galo!

Siga o blog > Facebook | Twitter | Instagram

  • broc

    Bom comentário! Cazares é um caso diferente da maior parte dos demais jogadores. Enquanto o problema do técnico não é desenvolver sua qualidade, e sim passar disciplina, a maior parte tem de ser trabalhada para corresponder qualitativamente. E o problema da torcida gourmet está ficando sério. Saudades da torcida que acompanhou o Galo na série B….