Copo meio cheio

Publicado em Atlético, Campeonato Brasileiro, Futebol
atletico-vasco-campeonato-brasileiro-2018-independencia
(Foto: Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)

(Fernando Gregori – @ferdsmg)

Contra o Paraná, jogamos muito mal e ganhamos. Contra o Santos, jogamos mais ou menos e quase goleamos. Contra o Flazinho, jogamos muito bem e perdemos. Ontem foi mais um desses jogos estranhos em que jogamos bem e não conseguimos vencer. E só não perdemos porque, ao contrário daquele goleiro que a seleção deu as costas, temos um baita Santo debaixo das traves.

Perder 5 pontos para o vaxquin é péssimo. São pontos que vão fazer muita falta na hora de definir uma classificação para Libertadores. Como no ano passado, quando deixamos de jogar a LA por míseros pontinhos. Mas essa será nossa sina: sofrer diante de retrancas intransponíveis. E a do vaxquin de ontem, foi o verdadeiro ferrolho. Aquele jogo que poderia durar até hoje que o gol não sairia nunca.

Mas vamos olhar pelo copo meio cheio. Galo jogou muito bem. O resultado foi horrível, mas não dá pra negar certas evoluções no time. A principal delas pra mim é o entrosamento entre Cazares e Chará. Nossos dois melhores representantes da Galursal estão cada vez mais afinados. O colombiano fez muito bem ao equatoriano. Essa dupla com certeza vai render muito ainda.

Outro copo meio cheio é a defesa outra vez sem ser vazada. 2 jogos seguidos sem tomar gol é quase um milagre, em se tratando do Galo. Tá certo que ontem o mérito foi quase todo do São Victor, que anotou mais 2 milagres para sua extensa conta de feitos milagrosos. Mas é nítido que uma zaga mais segura com Maidana e Emerson deixa nosso Santo mais tranquilo para garantir a meta lá trás. E falando do Emerson, que partida fez o garoto ontem. Atrevido, voluntarioso e firme na marcação. Patric já pode ficar sossegado no banco, que agora ele tem um substituto.

Como havia dito em colunas passadas, minhas expectativas com o Galo estão lá embaixo. Por isso, consegui não me frustar muito ontem. Queria a vitória, claro. Fiquei bem puto com aquela cavadinha do Ricardo Oliveira e aquela bola na trave no último segundo de jogo, mas só de ver um time mais agressivo e mais organizado a cada jogo, eu já estou me dando por satisfeito. Minha meta que antes do segundo desmanche, era fugir do Z4, já começa a ser ficar no G6. Estamos a 7 pontos do sétimo colocado e agora é continuar fazendo bons jogos como foram contra o Botinha e  mesmo o empate de ontem.

Temos que continuar pontuando. Isso que importa. Se continuarmos jogando satisfatoriamente, melhor ainda. Agora é tentar beliscar uma vitória na Bahia e esperar a volta do Adilson para fechar o meio ainda mais. E torcer para que o Pastor pare de errar gols na cara.

Continuo dizendo, vamos evitar o sofrimento e começar a ver o Galo como um time que está no BR18 para jogar a Sulamericana. Assim, tudo o que vier além disso, será motivo para comemorar. Esse elenco é pra jogar mesmo ano que vem, se não inventarem de vender todo mundo antes, claro. Então, antes de xingar meio mundo por causa de um empate em casa, vamos pensar que, pelo menos, o piro está passando e o copo está meio cheio.

Gostou do conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.
Siga o blog > Facebook | Twitter | Instagram | YouTube

*Caro leitor, para comentar é necessário, primeiramente, fazer login com Gmail (Google), Facebook ou Twitter. Caso você não queira utilizar uma dessas opções, é possível fazer comentários informando apenas seu nome e e-mail clicando no campo “Nome”, abaixo de onde está escrito “ou registre-se no Disqus”. A partir disso, basta marcar a opção “Publicar comentário sem iniciar sessão”. Deixe sua opinião, ela é extremamente importante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *