Placar de mentira, 3 pontos de verdade

Publicado em Atlético, Campeonato Brasileiro, Futebol
atletico-mg-x-atletico-pr-brasileirao-2018-arena-independencia
(Foto: Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)

Por Fernando Gregori – @ferdsmg

Galo e Falsos nunca será um jogo normal. Se tem um time que adora complicar nossa vida no Horto, é o Paraguaiense. E parece que eles fazem de propósito, já lá na Morolândia, o Galo até costuma se dar bem. Mas quando a parada é em BH, a Brisa paranaense cisma em nos dar trabalho.

Ontem tinha tudo para ser mais um daqueles jogos que o Galo ama perder em casa, só pra matar a Massa de raiva. Jogo pra subir posição na tabela, abrir vantagem sobre os times de trás e logo após uma bela vitória sobre o líder. Quantas e quantas vezes a gente já viu esse filme e o final nunca era feliz pra gente.

E pra deixar a noite ainda mais tensa, gol deles logo no inicio. Gol contra, em uma jogada dos infernos. Que cobrança de escanteio eram aquelas? Os caras simplesmente faziam bolinho no 1º pau e o cobrador acertava a bola toda hora ali, na muvuca. Um deus nos acuda na defesa. Claro que também tinha a figura do goleiro adversário que começa a fazer milagres justamente contra o Galo.

O enredo estava todo escrito. Todo Atleticano com mais de 30 sabia de cor o que aconteceria no jogo. Mas aí apareceu o Capitão Fantástico do Galo. LE-O-NARDO SIIIIILVA! O maior e melhor zagueiro da nossa história. O cara que fez a bola voar por longos e intermináveis 2 segundos até encontrar a lateral da rede, na final da LA13. O cara que consegue ser um monstro mesmo jogando contra atacantes com metade de sua idade.

E o gol do Capitão Fantástico recolocou o Galo na partida. Não sem antes tomarmos um sufoco incrível, claro. Com direito a duas bolas na trave e alguns milagres de São Victor. E quando tudo parecia perdido, com time batendo cabeça e os Falsos em cima, Elias apareceu na área. E quando ele resolve aparecer, amigo, fatalmente é gol. Que bela pancada no ângulo. 2×1 bem mentiroso.

Mas aí, o menino Cazares decidiu que seria um legítimo camisa 10 por alguns segundos. Pegou a bola no meio, carregou com maestria, olhou para os dois lados do campo, analisou a melhor jogada e colocou o Pastor na cara do gol. Com requintes de crueldade, ele ainda precisou chutar errado, pra pegar o rebote do goleiro e só depois de quase enfartar metade da torcida, chutar no gol. Era um 3×1 mais mentiroso que muita facada fake por aí.

Galo conseguia uma vitória que teoricamente seria simples, mas que na prática sempre é complicada. Em um jogo que poderia ter perdido de goleada, acabou enfiando 3 no Paraguaiense da Morolândia e se consolidando no G5. Agora, estamos a 8 pontos do líder, 8 pontos do primeiro fora da zona de classificação para a LA19 e faltam apenas 5 pontinhos para eu ficar 110% aliviado. (Sim, eu sou daqueles que só fica tranquilo no Brasileirão depois que o Galo faz 46 pontos).

Os próximos jogos serão muito bons para termos uma real noção de onde poderemos chegar nesse campeonato. Cru e depois flazinho. O freguês e o rival. Ambos fora de casa e focados em outras competições. Ambos deixando o BR de lado. Que se danem! Não tenho nada a ver com o problema dos outros. Vamos pra cima deles, com se não houvesse amanhã. Porque quem tem um Capitão Fantástico, tem como ganhar tudo de verdade.

Gostou do conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.
Siga o blog > Facebook | Twitter | Instagram

Um comentário para “Placar de mentira, 3 pontos de verdade

  1. PAREI NO “MUITA FACADA FAKE POR AÍ”.

    Triste envolver posicionamento político em uma página de futebol, e ainda, tripudiando de um atentado, página triste da história brasileira.

    Falta de humanidade.

    Estragou o texto que vinha bem, acho que o UAI deveria tomar providências.

    Está aqui um leitor que não mais lerá nada aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *