Ano novo, Galo novo

Publicado em Atlético, Campeonato Mineiro, Futebol
atletico mg boa esporte campeonato mineiro 2019
(Foto: Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)

(Por Fernando Gregori – @ferdsmg)

E estamos de volta. Após uma parada técnica para nos recuperamos de um fim de ano turbulento, cá estamos nós de novo para falar do que interessa: Galo. E como é bom começar o ano falando bem do Glorioso. Afinal, 2018 foi um ano bem complicado em todos os sentidos. Desde presidente desprezando campeonato internacional até diretor de futebol fazendo ação entre amigos, teve de tudo no Galo.

Menos mal que o Sette Câmara resolveu focar no futebol e antes do ano acabar, trouxe o Levir pra colocar ordem na casa. E de uma temporada que prometia 100% de vexames, conseguimos tirar uma vaguinha chorada na Pré-Libertadores. É muito pouco diante do investimento e estrutura do clube, mas pra quem foi eliminado da Copa do Brasil pela Chape, essa vaga valeu como troféu.

Já sabemos que teremos o Danúbio pela frente, no 1º mata-mata da Pré. E nem adianta a gente falar que vai ser moleza porque não vai. É o Galo. E moleza não faz parte da nossa sina. A não ser que seja uma final de Copa do Brasil contra o nosso maior freguês. Aí, é mamão com açúcar.

É encarar esse jogo como o mais importante do ano. É chegar no Uruguai já com sangue nos olhos e vontade de ganhar. E a estreia de ontem no Estadual foi muito boa pra isso. Mais do que comemorar goleada em cima de um adversário fraco, o 5×0 de ontem serviu pra gente ver no Galo, algo que faltou muito em 2018: Vontade.

Em outros tempos, após fazer 2 a 0, o time ia ficar tocando bola até acabar o jogo. Seria mais um joguinho modorrento apenas. Mas ontem foi diferente, vimos um time correndo muito e sem medo de fazer gol. Mesmo com a fragilidade do Boa, o Galo fez seu jogo. Mostrou preparo físico e jogadores focados.

A nossa nova dupla de zaga parecia que jogava o 100º jogo juntos. Rever então, parece que nunca saiu do Galo. No meio, o papai Cazares mais uma vez mostrou porque a gente pega tanto no pé dele. Joga muito e por isso esperamos tanto dele. Na frente, o Pastor achou uma bela maneira de promover o trabalho da esposa. Fez 3 pra pedir a  música dela. E poderia ter feito mais. Levir já percebeu que ele precisava de companhia no ataque. Chará e Luan pelos lados e Elias pelo meio estavam constantemente perto do nosso 9. E quando a bola chega, ele não perdoa.

Sobre Luan, só um adendo. NÃO OUSEM SE DESFAZER DELE. Luan é insuportavelmente chato, é mimado, é anti-social, é doido, é cricri, mas é do Galo. E todo time precisa de um jogador referência em campo. Já disse aqui que Luan é o torcedor do Galo no gramado. Todo time precisa dessa identificação. Na minha opinião, Luan só precisa ter alguém que imponha limites. Era o que o Maluf fazia. Ele precisa de uma figura paterna. Que o Marques veja isso.

O ano só começou e com certeza vamos passar muita raiva ainda. Nem é bom a gente se empolgar demais. Vamos com pés no chão. Mas, alguém conhece um bom hotel em Dubai, para o fim do ano?

Gostou do conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.
Siga o blog > Facebook | Twitter | Instagram

2 comentários para “Ano novo, Galo novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *