Todo carnaval no Galo tem seu fim

Publicado em Atlético, Copa Libertadores, Futebol
atletico-cerro-porteno-libertadores-2019
(Foto: Bruno Cantini/Atlético/Divulgação)

(Por Fernando Gregori – @ferdsmg)

Depois de 4 dias de muita folia, muito bloquinho, muito protesto contra o presidente e nenhum golden shower, o Galo finalmente desfilou na Libertadores, para encerrar o carnaval da Massa. E quando a gente esperava um desfile perfeito, o time desafinou no samba, bagunçou os passistas e fez os carros alegóricos estragarem no meio da avenida.

Não poderia ter sido uma estréia pior. Voltando ao Mineirão, torcida empolgada, quase 40 mil pessoas prontas pra tirar o pé do chão e o time de ressaca. E olha que nem foi uma atuação tão ruim. Foi burocrática. Galo dominou o jogo todo, meteu 2 bolas na trave, teve 2 gols anulados corretamente e mal deixou o Cerro atacar. Victor praticamente não encostou na bola. Nem na hora de levar o gol, numa falha de todo o sistema defensivo, mais precisamente do lado direito.

Lado direito onde o Patric reina absoluto. Já são quase 10 anos de Galo, sem nenhum bom serviço prestado, além de uns 2 ou 3 cruzamentos certos. Nada mais justifica a presença dele no time. Nem o fato de ser o cara mais gente boa do planeta Terra. Chega. Eu fiquei puto com a torcida vaiando ele e o Fábio Santos ontem. Principalmente quando estavam com a bola no ataque. Mas hoje já acho que só com muita vaia, desde a divulgação da sua escalação até o fim do jogo, fará com que os teimosos do Galo entendam que não dá mais.

Eu acho que já é um ato de covardia expor o jogador a essa situação, sem ter necessidade. Se não existisse outro lateral direito no mundo, tudo bem. Mas temos o Guga, que já demonstrou não ser nem um pouquinho pior que o Patric. Ficar escalando um jogador que já não tem a mínima simpatia da torcida, há anos, é muita sacanagem com o próprio jogador. Fica a dica, Levir.

Mas por mais que o Patric não deva mais jogar, a culpa da derrota de ontem não é só dele. Fábio Santos é outro que joga só com o passado. Futebol dele sumiu de vez. Erra tudo, está sempre no lugar errado e não ajuda em nada no ataque. Com 2 laterais jogando tão mal, será impossível almejarmos algo mais.

No meio, Adilson continua sendo o fator de desequilíbrio do setor. Fraco na marcação, fraco no passe e mais fraco ainda na recomposição. É a famosa mina. Joga nele que tem perigo de gol.

Pra piorar, Levir insistiu na formação de 3 volantes, onde um desses volantes, não joga como volante. Isso mesmo, caro leitor. Temos um volante fake. Elias é o meia que, na teoria, teria como função maior, avançar ao ataque como homem surpresa. Mas na realidade, só deixa o ataque mais lento e previsível. Nos 2 jogos com esse esquema, Ricardo Oliveira ficou ainda mais isolado e menos atuante. Luan que teria espaço pra subir, acaba virando uma espécie de “4º volante” e perde todo o fôlego na marcação. Quando chega ao ataque, já está mortinho e sem pernas pra concluir as jogadas.

E quando o Chará entra, acontece aquele lance bizarro dentro da área. Um tropeço que ilustra bem o futebol do colombiano que até outro dia era sensação.

A verdade é que o jogo de ontem apenas escancarou o maior problema do Galo nos últimos anos: FALTA DE ELENCO QUALIFICADO. Cansamos de avisar. Cansamos de cornetar. Galo só monta um time titular e olhe lá. Sempre falta banco. Aquele jogador que entra e muda o jogo. A entrada do fraquíssimo Nathan ontem foi o ápice desse problema.

Agora o Galo já começa a fase de grupos com a corda no pescoço. Precisa vencer o Nacional, fora de casa, de qualquer jeito, se não quiser passar um mega sufoco pra se classificar. Não acredito nisso. Acho que esse grupo será muito parelho, com o Zamora sendo o fiel da balança. Mas perder em casa é péssimo e obriga o time a se desdobrar fora de casa. Empatar já não basta.

O carnaval acabou e o Galo nos deu uma dedada e um belo banho dourado de realidade. Reage, Galo!

Gostou do conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.
Siga o Entre 4 Linhas > Facebook | Twitter | Instagram

3 comentários para “Todo carnaval no Galo tem seu fim

  1. Me a calculadora de números do Levir com o Fabio Santos se estiver certo rasga o diploma de qualquer matemático. Todo time que este pirracento treinou ele fez lambança em 2001 ele trocou o Cicinho pelo Baiano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *