Burro e birrento

Publicado em Atlético, Copa Libertadores, Futebol
atletico-mg-nacional-uruguai-libertadores-2019
(Foto: Bruno Cantini/Divulgação)

(Por Fernando Gregori – @ferdsmg)

Vou começar a coluna de hoje com uma afirmação: SOU MEGA FÃ DO LEVIR. Com ele, vi o Galo jogar muito e conquistar títulos espetaculares. Mas esse Levir de ontem não é nem sombra do Levir de outrora. O Levir sem freios, corajoso e ambicioso, que não deixava o time esmorecer. Agora, parece que temos o Levir versão Thiago Larghi.

Já são três jogos sem marcarmos um golzinho sequer. Três jogos onde quase não chutamos ao gol. Três jogos onde o centroavante ficou completamente isolado no meio de quatro zagueiros durante todo tempo, sem ter com quem tabelar ou tocar. Três jogos onde os gols das derrotas saíram justamente do lado direito, aonde está o nosso jogador mais fraco, mas titular absoluto. Três jogos em que toda a torcida e imprensa apontam os erros gritantes, mas o Levir Larghi insiste em manter do jeito que está por pura birra.

Desde o jogo da volta contra o Defensor, no Horto, estamos vendo um Galo bem diferente do que começou o ano. As críticas quanto à fragilidade do sistema defensivo, vistas nos dois mata-matas da Pré-Libertadores mexeram com o Levir a tal ponto dele ligar o fodas e abandonar o esquema Galo Doido, pra fazer um esquema Larghi de novo. Se antes o Galo atacava o tempo todo, com RO e Chará infernizando a zaga adversária, agora mal conseguimos chegar perto da área. E quando chegamos, só tem um jogador lá dentro. Se antes a gente fazia mais gols, mas tomava alguns, hoje a gente toma gol em qualquer simples jogada de ataque do adversário.

O desespero do Levir em ajustar o setor defensivo não só destruiu a força ofensiva do time, como mostrou toda a falta de qualidade técnica do elenco. Com o Galo Doido, jogadores que não têm habilidade conseguiam disfarçar suas ruindades na correria, na raça. Agora, com a bola nos pés e espaço pra tocar, eles mostram o quanto são fracos e comprometem todo o time.

São os casos de Fábio Santos e Patric nas laterais. Dois jogadores que não justificam nem por 1 segundo suas titularidades absolutas. No caso do Fábio fala-se em falta de reserva. Acho que depois de mais um jogo desastroso como o de ontem, já podemos colocar um atacante no lugar dele que não seria pior. Quanto ao Patric, já não temos mais o que falar. Acabaram os argumentos. Mesmo que mais uma vez ele não tenha sido o pior, o gol saiu do lado dele de novo. É muito fácil chegar por ali e cruzar. Todo mundo faz isso e só o Levir não enxerga a mina. Ainda mais quando escala a mina com febre. Aí é ofender a torcida com força.

Quanto aos volantes, o esquema do Levir simplesmente acaba de esturricar o já queimado filme do Elias, colocando fora da posição que ele sempre jogou. Além disso, pega um dos poucos atacantes do time, como o Luan e o transforma em volante. Aliás, Luan é o melhor deles. É o que mais rouba bolas. Pena que de tanto voltar pra marcar, acaba ficando sem pernas pra chegar ao ataque, o que contribui para o isolamento do Ricardo Oliveira.

A derrota de ontem é 110% culpa do Levir. Não tem como aliviar. Nós avisamos. Vai dar merda. Mas o burro sem sorte e rabugento está num estágio da vida que não aceita ouvir ou ao menos analisar friamente a situação. Ele se acha infalível e vai morrer abraçado com seus erros.

Mas só pra não achar que o Levir é o capeta. A diretoria tem sua % de cagadas também. Tem pelo menos 2 anos que estamos falando da necessidade urgente de um reforço pra lateral esquerda. Tem pelo menos 2 anos que pedimos um outro camisa 10 pra aliviar o Cazares. E há quanto tempo falamos que falta atacante pra jogar ao lado do Pastor? E a diretoria dorme, se finge de morta e usa a desculpa preferida dos incompetentes; AUSTERIDADE.

Pois bem, essa maldita austeridade pode nos fazer passar um vexame continental. Ser eliminado na 1ª fase da Libertadores é pra pedir o boné e puxar o carro. Eu até entendo o Levir querer dar continuidade nesse esquema. Mas então que o aperfeiçoe mais, durante o Mineiro. Ponha o time titular pra jogar direto nessa formação até ver se funciona ou está errado mesmo.

O que não dá é ficar fazendo testes enquanto o time cai pelas tabelas. Restam 4 jogos. Precisamos vencer os 4 pra garantir a vaga. E só será impossível se o Levir continuar essa birra burra. Nem Cerro e nem Nacional são timaços. Pelo contrário. Tivesse o Galo jogado como jogou no inicio, teria ganhado os dois jogos.

Então, Levir, o senhor decide. Quer continuar sendo o nosso amado treinador, do qual sou fã, ou vai entrar para o hall dos odiados? É esse o fim que o senhor quer para sua carreira vitoriosa? A Massa quer saber.

Gostou do conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.
Siga o Entre 4 Linhas > Facebook | Twitter | Instagram

2 comentários para “Burro e birrento

  1. Parei de ler quando vc disse que é fã do Levir. Lembra da última passagem dele que Patrick chegou a jogar com a camisa 10? E a raiva que nos fez passar com sua implicância em insistir com Carlos?? Como vc é fã de um cara birrento, pirracento e burro como o Levir?

  2. Um técnico que escala em seu time titular: Ricardo Enganador Oliveira, Patrik e Fabio Santos, não merece fãs.
    O Ricardo Oliveira que você falou que inferniza a zaga adversária é aquele que só marca gols em times pequenos como Boa Esporte e Danúbio?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *