Após denúncia de ativistas, Inhotim cancela apresentação com cobras sedadas

Publicado em
Vanguarda Viperina – fotografia preto e branco,Tunga (1985)
Vanguarda Viperina – fotografia preto e branco,Tunga (1985)

A denúncia feita no dia 4 de agosto, por meio do Petcetera, sobre a performance Vanguarda Viperina,  que seria exibida no próximo mês de setembro na Galeria Psicoativa do Instituto Inhotim em homenagem ao artista plástico Tunga, trouxe à tona a questão dos maus-tratos aos animais em nome da arte. Na ocasião, três serpentes, sedadas e trançadas, seriam usadas como atração principal. O procedimento seria monitorado por uma equipe de biólogos do Instituto Vital Brasil. Contudo, após a matéria, o IBAMA, órgão responsável pela gestão da fauna silvestre do país, informou que a legislação ambiental vigente não permite a reedição da performance. A veterinária Marcela Ortiz, especializada em animais silvestres, comemora. “É um procedimento antiético e ilegal. Fiquei espantada quando soube da proposta”, diz. Além da Lei 9.605/98, que prevê detenção e multa para aquele que “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”,  o projeto de lei 22.231/16, sancionado no último mês de julho pelo governador Fernando Pimentel, prevê multa de R$ 900 a R$ 3 mil para os agressores. “Imaginem esses répteis voltando da anestesia, sob efeitos colaterais, e ainda trançados uns aos outros? É desumano”, diz a  veterinária. A advogada Fernanda Bouchardet, especializada em defesa animal, ponderou  que a performance se assemelha aos espetáculos circenses, proibidos em todo o Estado de Minas Gerais. “É inadmissível colocar vidas em risco para simples diversão humana”, disse. Após a publicação, inúmeros comentários foram direcionados à nossa página, entre eles do portal Anda, maior agência de notícias de direitos animais do país. “Entraremos em contato com o Inhotim e patrocinadores a fim de cancelar essa atrocidade”, declararam. De fato, não há licença poética que justifique a utilização de vidas para simples entretenimento humano.

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *