Medicamento que trata a leishmaniose canina é liberado no Brasil

Publicado em
teste
Equipe Brasileish: veterinários  Manfredo Werhauser, Ingrid Menz, Vitor Marcio Ribeiro, Paulo Tabanez, Fábio Nogueira e André Luiz Soares da Fonseca

Há uma batalha silenciosa no Brasil. Apesar de pouco badalada, ela é polêmica e coloca no ponto central da discussão o tratamento da leishmaniose visceral canina, doença transmitida pelo mosquito-palha que afeta homens e animais – e pode ser fatal em ambos os casos. Em janeiro de 2013,  o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) negou vigência à portaria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que não permitia o tratamento dos cães infectados com medicamento humano e nem importado. O acórdão veio em resposta à ação movida pela Organização Não Governamental (ONG) Abrigo dos Bichos, do Mato Grosso do Sul (MGS). Considerando que no país não existe medicamento específico para o tratamento da doença em cães, até então, os animais contaminados só tinham um destino: o sacrifício.

Contudo, a eutanásia sempre foi contestada por especialistas que garantem que a matança de cães não diminui o índice de contágio da leishmaniose, tendo em vista que o vilão é o mosquito, e é ele que deve ser combatido. Em países como a Índia, onde o protozoário envolvido é a Leishmania donovani, a leishmaniose pode ser transmitida de homem para homem, ou seja, o vetor pica uma pessoa contaminada e transmite o parasita para outra. Tipo de transmissão que não é comum em outras localidades.  Nos humanos, porém, a doença é muito menos perigosa e fatal do que nos cães. A questão é que, dos 88 países do mundo onde a doença é endêmica, o Brasil é o único que ainda utiliza a morte dos animais como instrumento de saúde pública. “A leishmaniose visceral canina tem controle, tem tratamento eficaz e, portanto, não é necessário fazer a eutanásia do animal, exceto em casos específicos”, afirma o veterinário Leonardo Maciel, da Clínica Veterinária Animal Center. Isso porque, após o tratamento, o cão deixa de ser um reservatório ativo e, portanto, não é mais um transmissor. 

A boa notícia é que após  décadas de discussão, o grupo de pesquisas da Brasilleish, liderado pelos médicos veterinários Fábio dos Santos Nogueira e Ingrid Menz, com o apoio do laboratório Virbac, anunciou no último dia 28 de agosto que conseguiu a aprovação do Ministério da Saúde e da Agricultura para a comercialização do Milteforan, uma das drogas mais utilizadas na Europa para o tratamento da doença. O medicamento foi testado no Hospital Veterinário Mundo Animal, em Andradina (SP), com resultados eficazes. “A decisão representa um marco na medicina veterinária brasileira. Foram 18 anos da minha vida profissional com dedicação exclusiva à tentativa de dar qualidade de vida aos animais contaminados”, disse Fábio. Com a aprovação, proprietários que optarem por tratar seus cães não terão mais que importar, às escondidas e pagando um alto preço, medicamentos fundamentais para salvar a vida de seus pets.

O veterinário Manfredo Werkhauser, da Clínica São Francisco de Assis, é um dos fundadores da Brasilleish e comemora. “Aguardamos ansiosos a comercialização da droga que já deve estar no mercado a partir de janeiro de 2017. É o que vai possibilitar o tratamento de inúmeros animais contaminados e evitar a eutanásia”. Para a veterinária Ana Augusta de Sousa, do Intensivet Núcleo de Medicina Veterinária Avançada, a leishmaniose é uma questão de saúde pública. “A solução para o controle da endemia em Belo Horizonte e região metropolitana é uma política efetiva de saneamento básico e investimento em políticas sociais”, diz. De difícil combate, o mosquito se reproduz em locais onde existe abundância de material orgânico, como folhas, frutos, fezes de animais, entulhos e lixo, e se alimenta do sangue de humanos e animais, entre eles; a galinha, o porco e o cavalo. “Tem de existir uma união entre o poder público e a população para se criar uma nova consciência sobre o meio ambiente, recolhendo o lixo e lhe dando uma destinação adequada. Só assim a proliferação da doença poderá ser controlada”.

Fique por dentro e previna-se

Leishmaniose – também conhecida como calazar, a contaminação em seres humanos e animais ocorre através da picada da fêmea do mosquito Lutzomyia longipalpis, mais conhecido como mosquito-palha ou birigui

Sintomas no ser humano – febre prolongada, perda de peso, falta de apetite e aumento do fígado e baço. Se não tratada a tempo, a leishmaniose visceral tem alto índice de mortalidade em pacientes imunodeficientes portadores de doenças crônicas

Sintomas no cão – lesões de pele, perda de peso, descamações, crescimento exagerado das unhas e dificuldade de locomoção. No estágio avançado, o mal atinge fígado, baço e rins, levando o animal ao óbito

Prevenção da doença

Fazer a retirada de qualquer tipo de material orgânico como folhas, fezes de animais, entulhos e lixo, onde o mosquito possa se reproduzir. A borrifação química é fundamental em áreas endêmicas

Prevenção nos cães

Uso de repelentes, coleira própria contra a leishmaniose, vacina específica, higienização do animal e do ambiente

Vacina

A vacina Leishtec, aliada a outros métodos preventivos, reduz a chance de contaminação do animal e enfraquece o protozoário em cães já contaminados, diminuindo a chance de transmissão

Tratamento

Inclui sessões de quimioterapia, feita por meio de medicação venal aplicada através de soro, e medicação oral. Exige o comprometimento do proprietário em seguir as orientações veterinárias à risca, com realização de checape periódico e manutenção de alimentação específica com baixo teor de proteína

Fontes: especialistas consultados

 

 

 

97 comentários para “Medicamento que trata a leishmaniose canina é liberado no Brasil

  1. Que notícia maravilhosa
    Já perdi três cães. Parabéns a esses incansáveis profissionais que doam sua vida em favor dos animais. Vocês são de fato verdadeiros vocacionados.

    1. Mariavilha!!!!! O homem tem que sair desse obscuro e entender que o mosquito que é o causador dessa edemia e cuidar, como a Zica, Dengue, Chicungunha e entender que os animais são tão vítimas como os humanos, pense se fosse fazer eutanásia dos humanos infectados por esse virus, pelo virus do HIV e muitos outros extremamente contagioso?

      1. Só que tem um porém em seu comentário. Mesmo que um mosquito pique um portador de HIV, jamais será um transmissor do vírus. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. S

        1. imagine vc eutanásia, em um parente que tenha alguma doença contagiosa,seja ela qual for, claro ninguém ira fazer isso e sim trata o parente, pois a fácil, não temos o poder de julga ou de tira a vida de ninguém seja ele um animal . sacrifica animais indefesos ,pois critica quem é contra a eutanásia, e fácil o dificel é esta no lugar dessa pessoa.

        2. O mosquito picando o portador de HIV realmente não passa a transmitir o virus, mas se o portador “pica” outro indivíduo, sem a devida prevenção, certamente irá transmitir o vírus, não é meu caro? Portanto, do mesmo modo que não se sacrifica os portadores do vírus HIV, não se deve sacrificar os cães infectados pela Leishmaniose, uma vez que são os mosquitos os transmissores da doença. Entenda a questão antes de redigir um comentário sem nexo. “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa” kkkkk, palavras de quem tem um vácuo na caixa craniana.

        1. Boa tarde, comecei o tratamento com o milteforan na minha cachorra dia 26/04/2017, nesses poucos dias de tratamento ela já teve bastante melhoras, quanto aos sinais clínicos ainda não… mas ela já se mostra mais ativa e disposta. Em relação ao custo do tratamento não é barato (pelo menos pra mim), ela já tem a doença a pouco mais de 1 ano, e fazia antes o tratamento convencional com a vacina leishtec, porém, após o cio ela voltou com todos os sintomas, e após a liberação do milteforan o veterinário indicou o uso imediato dele, após uma bateria de exames que ficaram em torno de R$ 595,00, eu fiz o pedido do medicamento que como ela tem 6.900kg pedi o de 30ml que custou R$ 1.200,00, e juntamente com o medicamento ela continuará com o aloupurinol.
          O veterinário disse que após os 28 dias de tratamento vou levar ela pra uma consulta de retorno, pra verificar se os sintomas sumiram, e depois de 4 meses vamos repetir todos os exames novamente pra ver se houve uma alteração em seus exames e uma possível “cura”. Espero que funcione.

      1. Minha mãe tem um cão há quatro anos com a doença. Praticamente não aparenta ser doente. Gordo, alegre. Vale a pena tratar, a doença entra em remissão. Um abraço. Não desista do seu cão!

  2. Melhor notícia que pude receber ! Parabéns aos veterinários que buscaram meios e proposta maravilhosas para nossos cães! Parabéns também a todos os envolvidos . Espero que venha mesmo em 2017 ,para todos poderem ter a chance de tratar seu animal.

  3. Parabéns! E obrigada! São por pessoas como vocês que nos acreditamos em um mundo melhor, Deus abençoe suas vocações e com certeza estão no lugar certo. So quem tem um amigo pet sabe a importância de uma notícia boa dessa

  4. Graças a Deus!!! eu aguardava ansiosa por essa noticia maravilhosa!!!! Quantas lágrimas eu já derramei para salvar meu lindo Rottweiler dessa doença. E sendo criticada por parente por tratar e não matar!!! Amei a notícia….

  5. Parabéns , isso só vem provar que o Brasil tem jeito. Deixamos de fazer parte da mediocridade e passamos para o fato tratável. Estou imensamente feliz.

  6. Excelente notícia , a leishmaniose através da propagação do mosquito palha avança , ano após ano , em direção aos estados do Rio e de São Paulo . Casos já foram diagnosticados em Embu das Artes e em Bangu no Rio .

  7. Parabéns por essa Vitória. O Brasil precisa avançar no trato com o calazar.
    Gostaria de fazer uma pergunta: pq a dieta do cão precisa ser com baixo teor de proteína?

  8. Fico feliz pois tenho um cão que já faz uso da vacina porém nestes últimos anos foi difícil conseguir a vacina mas consegui,um preço pouco elevado mas fiz um pequeno sacrifício e comprei tudo por meu companheiro e fiel cãozinho.

  9. Um excelente notícia para os clínicos de pequenos animais e para os tutores dos mesmos que ficamos aflitos, quando de um diagnóstico de soro positivo.

  10. Sou tutora de cinco animais. Essa notícia me alegria muito obrigado pelo esforço científico e político para atingirem esse grande progresso. A respeito da consciência do homem ao meio ambiente é preciso muita campanha de informação, as pessoas na verdade saber q tomar atitude errado em relação ao lixo, desperdício de água, abandono de animais e etc. O brasileiros senti-se apenas no direito e não responsável por coisa alguma. Parabéns pelo feito e resistência.

  11. Boa tarde, tenho uma cadela diagnosticada com leish, ela está fazendo o tratamento, gostaria de saber se ao fio do tratamento ela deixará de transmitir a doença.

  12. Fiquei muito feliz,pois a minha cadelinha contraiu a doença.Agora fico mais tranquila sabendo que em janeiro possamos adquirir o tratamento da cura.Parabens a todos que abraçou esta causa.

  13. Tratamento para Leishmaniose canina MILTEFORAN 20 MG temos frascos de 30,60,90 ml a pronta entrega via sedex para todo o Brasil. Pagamento a vista ou no cartão de crédito pelo pág seguro em até 12 parcelas. Contato 18 99809-8070 watts app Daniel Porto. Email. danielribporto@gmail.com

    1. Qual o valor do medicamento? É dose única? Caso não quantas doses são possíveis de aplicar visto que o tratamento consiste em 28 dias dias cada 4 meses?

    2. Oi
      Eu posso estar tratando d caozinho sem precisar levar ao veterinário mensalmente
      Pois todos sao contra ,mas mao entendem q assim como tem pessoas pobre sem condiçoes e tem q ser n sus
      Assim tambem tem animais
      Eles nao tem sus, aqui na minha cidade tinha uma petty q atendia gratuitamente uma vez ao mês
      Mas mandaram parar judicialmente lamentável

    1. Mas o remédio nao cura a doença, apenas e como a AHIV
      Trata ate o final d vida d bichinho
      E hj estamos 2017 os dois primeiro mês sai a 80.00 e depois a 40 e a consulta

  14. Graças a Deus foi liberado, tenho um cão beagle que esta com a doença, estamos dando ela alopurinol e fizemos o tratamento com super doses da vacina da leish. Olhamos no mercado negro a compra do milteforam que estava em torno de 1800,00 reais. Ainda não compramos, espero que o valor que chegue no mercado seja mais barato, pois pretendo dar o medicamento ela, alguem tem ideia do valor que chegara nas pratileiras?

  15. Sem palavras…..parabéns a equipe Brasileish! ue Deus os abençoe muito e sempre! Adotei uma cadelinha (sem poder na ocasião) que estava abandonada sob terriveis tratos e para minha surpresa ela tinha a leish, como estava desempregada nã tinha muita condição financeira de tentar *importar* o Miltoferan até porque era ilegal. Fiz tudo que estava ao meu alcance então ela fortaleceu, engordou, tinha uma energia fora do comum, comia super bem! Eu fui ameaçada pela vizinhança, fui criticada e julgada! Mas passei várias noite estudando os sites de medicina veterinária sobre a doença então não permiti que a *matassem* (mesmo no inicio quando ela não era minha) eu tinha chamado uma veterinária para fazer uma consulta (na ocasião pensei em relação a nutrição , vacinação e vermifugação). A própria veterinária recomendou para que eu (não era dona) comunicasse a prefeitura local para sacrificar a cadelinha. Me recusei a fazer! Tive medo sim em alguns momentos que eu pudesse ser atingida pela enfermidade e as pessoas que conviveram na minha casa. Contudo, graças aos sites sérios, profissionais sérios , destaco Prof André do Mato Grosso! Minha cadelinha viveu ano e meio com muita vitalidade e saúde, Após isso num prazo muito curto ela adoeceu e veio a falecer. Se tivésse condição de obter o Miltoferan, se tivesse apoio de Veterinários, talvez ela ainda estivesse aqui como estava: pulando, correndo, brincando, linda!!!!
    Gostaria de informar que uma alimentação balanceada, o uso da folha SAIÃO (folha da fortuna) acreditem funciona! e muito amor, ajudou muito a qualidade de vida dela enquanto viveu!

    1. oi, quanto custa e quanto demora p chegar??
      preciso com urgência, e estou sem condições por outros problemas graves na familia, vou pedir ajuda p comprar.

  16. Perdi dois cães com leish e agora recentemente meu filhote de labrador q ganhei de uma pessoa em mudança p outro estado fui imediatamente atrás da vacina mas antes fiz a sorologia q deu positiva Esta notícia do tratamento é maravilhosa . Que venha logo 2.017

  17. Hoje 16/11/16 acabei de ver no jornal Hora 1 da Globo a noticia que foi descoberta por cientistas brasileiros a vacina contra a Leishmaniose. Gostaria de saber se essa vacina já está à venda e onde. Realmente é uma noticia alvissareira que certamente vem para salvar
    nossos animais.
    Obrigado
    Luzia Leite dos Santos

  18. gracas a deus..demoro pra ser liberado.ja perdi varios caes com essa maldita doença..tem o tratamento mas não a cura..agora com esse remedio vamos ver se resolve e cura de vez essa doença maldita..obrigada a vcs q lutaram p isso.

  19. Graças a deus… estou com um cachorrinho em casa com esse problema e jamais deixaria alguém sacrificar ele, pois ele foi vitima da situação. vai ser tratado e curado. E vou ficar atenta a esse medicamento. Meu cão meu melhor amigo. DEUS abençoe a todos que lutam pela vida dos animais.

  20. Acabei de ler sobre essa descoberta maravilhosa. Que Deus abençoe esses homens que se empenharam tanto por estes seres que amamos incondicionalmente. Moro em um lugar onde está ocorrendo a endemia. Estou muito preocupada! Tb já li que em alguns casos o milteforan não resolve. Tenho três cães e me preocupo se vierem a contrair esse mal. Previno com o uso de antipulgas e carrapaticida que tb previnem contra essa doença, mas mesmo assim estou preocupada.
    Em que situação o tratamento com milteforan não resolve? Quando já está muito avançada a doença ???

  21. Parabéns a todos que lutaram para que esse medicamento fosse liberado. Nós e nossos filhos de quatro patas agradecemos. Que os bem feitores espirituais sempre lhes guie em sua jornada.

  22. Ótima notícia perdi uma cadela q me fez muita falta e agora tenho uma de apenas dois anos e está também com a calazar ..ondr posso encontrar esse medicamento?

  23. Há 5 anos, uma cachorra minha contraiu leishmaniose. Fiz tratamento com medicamento importado e ela sarou. Agora, parece que a doença voltou. O que eu posso fazer pracura-la?

  24. O tratamento e muito bem vindo , mas a vacina esta sendo vendida a R$ 2.000,00 , mais veterinarios não garantem a cura e o tratamento segue com consultas e medicações a cada 4 meses , por que tão caro, infelizmente a realidade brasileira segue muito longe disso, como uma familia comum vai cuidar de um cão com estes valores.

  25. Infelizmente na minha cidade o CCZ manda, fizeram um decreto onde foi aprovado pelos comparsas do diretor desumano do CCZ, onde o proprietário é obrigado a utilizar o medicamento milteforam que já é caro, ainda o CCZ quer exames ^completos de três em três meses, troca de coleira de três em três meses, e apresentação do cão junto ao CCZ com a comprovação do tratamento seguindo as exigências deles, ou seja, o pobre que ama seus bichinho vão continuar entregando para o sacrificio, porque a meu ver, nem os exames nem a coleira precisa ser trocada de três em três meses, e poucos veterinários de Presidente Prudente se cadastraram no CCZ pra fazer esse tratamento, mesmo porque eu acho que é uma ofensa ao profissional da medicina veterinária ficar dando satisfação do seu trabalho ao CCZ de todos os cães que trata, ou seja, a matança continua, e quem não deixa é multado vindo a multa no IPTU, levando os proprietários de imóveis não mais alugar casa pra quem tem cachorros, portanto, Presidente Prudente conseguiu colaborar pra enchurrada de animais abandonados nas ruas, transmitindo doenças, porque só estão preocupados com multa, saúde pública é só uma desculpa pra encherem os bolsos.
    ]

  26. PEGUEI TIÁ NA RUA ELA JÁ VEIO CONTAMINADA MAS ESTOU DANDO ALOPORINOL DE 110 MG DUAS VEZES AO DIA ELA ESTA BEM,MAS QUERO SABER ONDE POSSO COMPRAR O MILTEFORAN E QUANTO CUSTA?.NÃO VOU SACRIFICA-LA NUNCA ISSO TA FORA DE COGITAÇÃO.ELA USA A COLEIRA,MAS SE TEM O REMÉDIO QUERO COMPRAR.

  27. Tenho uma cadeia, uma vira lata chamada Vitória. Hoje soube que ela está com calazar. Segundo o veterinário ela está no início da doença. Estou desesperado. Pesquisando na Internet vi que o Milteforan está liberado no Brasil. Quero informações onde devo comprar e como devo iniciar o tratamento da minha princesa. Espero anciãos uma orientação.

  28. Descobri há 5 que o meu Hércules, um.Lindo soh alemão contraiu leishmaniose. Apresentou uma conjuntivite, suspeita de conjuntivite granulomatosa causada por leishmania, fez exames de sangue e pulsão de medula óssea e o diagnóstico se confirmou!
    O tratamento com Milteforan para ele ficaria em 2.180,00, o peso dele e 41kg e necessitaria de 120 ml, uma ampola de 30ml 690,00 e uma ampola de 90ml 1490,00 muito caro!a veterinária que trata dele me passou o seguinte tratamento:
    Colírio predfort – 38,00 1 gota em.cada olho de 6 em 6 hs
    Doxiciclina 200mg – 89,90 – um comprimido de 12 em 12 hs
    Medicação Manipulada:
    Aspartato de L-arginina 420mg – 71,00 – 1 cápsula a cada 24hs
    Alpourinol 420ml -111,00 – 1 cápsula de 12 em 12 ja
    Prednisona 42mg – 92,00 – 1 cápsula a cada 24hs
    Domperidona 42 mg – 57,00 – 1 cápsula a cada 24hs
    Com três dias de tratamento ja percebi melhoras o inchaço dos olhos cederam, e a corcova que havia aparecido na coluna tbm sumiu e o apetite de voltou!
    Comprei a medicação na Drogavet no Sudoeste em Brasília. A medicação ficou pronta no mesmo dia do pedido. Vale super apena.
    Tratamento por 2 meses, refazer os exames antes do término do tratamento.

  29. Flávia, o pinsher de meu filho tem 2 quilos foi diagnosticado com leishi. Já fiz uma pesquisa na minha cidade e terei que gastar quase 2 mil pelo tratamento de quimioterapia. A veterinária que atendeu sugeriu esse tratamento de quimio mas como vou pagar? Li que a veterinária tratou de seu cão de outra forma e mais em conta. Foi em Belo Horizonte? Você poderia me indicar essa veterinária? Ficarei imensamente grata.

  30. Há cinco dias meu cão foi diagnosticado. Já vinha a um bom tempo sofrendo com descamações e em torno de 1 ano vem tendo muita falta de apetite chegando a perder bastante peso. Comecei o tratamento com alopurinol a 2 dias aliado a coleira. Tenho bastante receio por ter criança de 2 anos em casa.
    O tratamento com oalopurinol e a coleira vão impedir que o parasita seja transmitido. Amo muito meu cachorro, porém tenho muito medo por meu filho e meus pais já um pouco idosos.

    1. Olá Frederico, além do alopurinol o tratamento da leishmaniose deve ser feito com medicamentos como o Milteforan, já comercializado no Brasil. Desta forma, o animal deixa de ser transmissor da doença e pode até deixar de ser o reservatório tendo a doença negativada. Lembrando que o transmissor é o mosquito e mesmo que não existam cães, a doença continuará a existir. Sugerimos procurar orientação com veterinário experiente no assunto. Abraços.

  31. O veterinário havia dito que seria tratado inicialmente com a dupla dose da vacina sendo repetida em 21 dias e como alopurinol. Também falou que a coleira era suficiente para evitar a transmissão e que o Milterforan era usado em caso de não responder ao tratamento inicial. Assim o animal tratado somente com o alopurinol se mantém transmissor da doença? As coleiras realmente são efetivas? Tenho muito receio de uma transmissão para meu filho e pais. Grato.

    1. A orientação do veterinário está correta e adotados os cuidados necessários, não há risco de transmissão. A coleira evita que o cão seja picado pelo mosquito e o alopurinol faz com que ele deixe de ser transmissor.Além disso, as vacinas combatem o protozoário da leishmânia.Conforme explicamos, mesmo que você não tenha cão por perto, o perigo é o mosquito e é ele que deve ser combatido. Recomenda-se fazer exames periódicos de sangue no animal para acompanhar o resultado do tratamento.

  32. Boa noite!

    Mi há cachorrinha tbm deu leishmaniose positiva! Estou cuidando dela, o remédio foi bem baratinho (remédio humano) , ela está tô ando a uma semana, retorno com ela Paraná o veterinário mês quer vem.
    Ela se sente muito sonha, quer carinho todo o tempo. Comprei a coleirinha pra ela tbm marca leevree.

    Estou um pouco com medo de ficar com ela, não quero ter leishmaniose.

    Mas tudo vai dar certo,se Deus quiser.

    No mercado livre e OLX tem o milteforan. Dão uma o,had ala. Abraços .

  33. Bom dia, minha Beagle de 1 ano e meio, foi diagnosticada hoje. Andei vendo o vale do metilforan, é realmente é caro. Alguém tem uma dica de aonde comprar mais barato, ou se pode formular? O que faço? Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*