Mitos e verdades sobre a leucemia felina

Publicado em

 

A leucemia felina é uma doença infecciosa que enfraquece o sistema imunológico do animal, deixando-o exposto a  enfermidades e infecções que podem ser fatais. Conhecida também pela sigla FeLV (vírus da leucemia felina), a enfermidade é causada por um vírus que possui a capacidade de predispor o animal a desenvolver tumores (leucemia ou linfomas) ou doenças degenerativas.

Uma de suas principais características é ser uma doença incurável. Em muitos casos, ela acomete os bichanos sem apresentar sintomas iniciais, de forma silenciosa. Por este motivo, a prevenção é extremamente importante para garantir a saúde do animal. Conheça alguns mitos e verdades sobre a doença, listados pelo médico veterinário Alexandre Merlo, gerente técnico de animais de companhia da Zoetis:

Cães também podem se infectar?

Não, e muito menos humanos. A transmissão ocorre somente entre gatos por meio do contato, principalmente com a troca de secreções corporais como saliva, lágrima, urina e fezes. A principal forma de passar o vírus é por meio das lambeduras entre animais que vivem juntos. O vírus também pode ser transmitido durante a amamentação.

Perda de peso é sintoma da  FeLV?

A perda de peso pode ser um deles, assim como depressão, falta de apetite e diarreia.

Mesmo sem sintomas, o gato pode estar infectado?

Sim. O felino pode viver anos sem apresentar sintoma algum dependendo do subtipo de vírus presente e de sua condição imunológica.

Se o gato não apresenta sinais da doença, como descobrir se é portador do vírus?

A leucemia felina pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue realizados em clínicas veterinárias.

O animal portador de  FeLV deve ser imunizado? 

Não. A vacina quíntupla felina é indicada apenas para animais saudáveis.

Se a FeLV não tem cura, a vida de um gato infectado é mais curta?

O vírus que causa a doença mexe com o sistema imunológico do animal, além de poder causar anemia e predispô-lo a desenvolver tumores. Infelizmente, um gato infectado pode, sim, viver menos.

Como cuidar de um gato infectado? 

O felino portador do vírus deve ter acompanhamento veterinário regular.  A FeLV não tem um tratamento específico, contudo, o animal é tratado conforme os sintomas que aparecem. Por isso, o mais indicado é que os gatos saudáveis sejam regularmente vacinados para que não corram o risco de contrair a doença.

Um comentário para “Mitos e verdades sobre a leucemia felina

  1. Tenho 2 gatos meninos, um de 15 anos e um de 8 meses, ambos com Fiv/Felv negativos, há 4 dias encontramos uma gatinha menina de 2 meses que foi espancada por alguem na rua… após 4 dias, conseguimos fazer o exame rapido de fiv/felv e este deu positivo.

    Estamos pensando em todas as possibilidades para ela… incluindo, vacinar os 2 meninos com a quintupla, e após isso, colocarmos todos juntos.

    Essa seria uma solução viável? Meus meninos correm perigo de contaminação, mesmo vacinados?
    Penso que os abrigos ja estão lotados, e que as chances de uma FELV positiva ser adotada é minima,… penso que ela já sofreu de mais na rua….

    o que fazer? se não consigo na minha casa separá-los?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *