ONG de Campos Altos pede socorro ao município para alimentar centenas de animais

Publicado em
Mais de 300 animais resgatados pela ONG estão sem alimento. Foto: divulgação/ Hope Anjos dos Animais

A situação da ONG Hope Anjos dos Animais, localizada na cidade de Campos Altos (MG) é alarmante e retrata um problema recorrente, sofrido por várias entidades protetoras em Minas Gerais: o descumprimento da lei pelo poder público.

Mais de 300 animais resgatados pela associação estão sem alimento. Isto porque, segundo a fundadora da ONG, Elquy Gonçalves, a entidade não conta com ajuda efetiva do município e não possui mais recursos financeiros para mantê-los. Os custos com veterinários e  medicamentos já chegam a R$ 30 mil, tendo em vista que grande parte dos bichos  encontrados estão doentes ou machucados, vítimas de abandono e maus-tratos. “O prefeito nos disponibilizou um veterinário que não é especializado em animais de pequeno porte e sim em bois,  com isso várias vezes temos que levar os cães e gatos para atendimento em outras cidades”, diz ela.

Segundo o chefe de gabinete Carlos Roberto, a prefeitura cedeu o espaço ocupado pelo abrigo e quatro servidores para auxiliar na limpeza e vigilância do local. Contudo, confirmou que não foi disponibilizado recurso para a alimentação. “Estamos buscando um meio legal para auxiliar neste aspecto, mas por enquanto ainda não temos previsão de liberação de verba”, disse. De acordo com a presidente da ONG, a instituição é totalmente legalizada e os recursos só não foram liberados porque o prefeito Paulo Almeida não aprovou o Projeto de Proteção de Fundo Animal que lhe foi encaminhado. “As pessoas não entendem que a fome não pode esperar e que a situação é urgente, ainda mais quando se tratam de animais doentes. O gasto mensal com ração chega a R$ 12 mil. Já gastei todas as minhas economias fazendo um trabalho que é de saúde pública, responsabilidade tanto da população, quanto do município”. Outro problema é a ausência de política de castração gratuita na cidade, inclusive na própria ONG, o que aumenta ainda mais a população de animais abandonados.

Os casos de maus-tratos e abandono em Campos Altos e municípios vizinhos são crescentes. Foto: divulgação/Hope Anjos dos Animais

Em Minas Gerais a lei é clara: é dever dos municípios cuidar dos animais. Segundo a lei 21.970 que trata da proteção, identificação e controle populacional de cães e gatos no estado, compete ao município implementar ações que promovam a proteção, prevenção e a punição de maus-tratos e de abandono de cães e gatos; assim como a conscientização da sociedade, entre outras medidas.  O artigo 32, da lei federal 9.605/98, define como crime ambiental praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A pena prevista é de  detenção de três meses a um ano, e multa, podendo a pena ser aumentada de um sexto a um terço, em caso de morte do animal.

No entanto, apesar das leis,  na prática, pouco ou nada é feito em prol dos animais pelos municípios. “É inadmissível o que está ocorrendo em Campos Altos. Os animais estão famintos e a ONG completamente sem recursos. É necessário que o poder público assuma sua responsabilidade e que a população também se envolva”, diz Adriana Araújo, coordenadora do Movimento Mineiro Pelos Direitos dos Animais (MMDA). Quando não têm os cuidados necessários, os animais abandonados acabam sendo vítimas de zoonoses, doenças que podem ser transmitidas aos humanos, entre elas a  sarna e a leishmaniose. “É preciso que as prefeituras realizem campanhas de conscientização da população sobre suas responsabilidades junto aos animais, sobre os crimes de maus-tratos e que invistam em campanhas massivas de castração para evitar a superpopulação e o conseguente abandono”, diz Elquy Gonçalves.
A cidade não conta com um Centro de Controle de Zoonoses e não realiza castração pública gratuita, o que resulta na superpopulação de animais e em seu consequente abandono. Foto: divulgação/ Hope Anjos dos Animais
PARA AJUDAR:
Quem puder auxiliar a ONG Hope Anjos dos Animais com  doação de ração, o contato é (37) 9. 9145-5504
Para doações em dinheiro:
BANCO DO BRASIL
CC: 16.240 -X ou 0
AG: 3038-4
(A FOME NÃO PODE ESPERAR)

 

 

Um comentário para “ONG de Campos Altos pede socorro ao município para alimentar centenas de animais

  1. Certamente a garantia decrecursos públicos no PPAG e o o investimento na conscientização constante da população quanto à guarda responsável e bem-estar animal, a castração em larga escala de cães e gatos e outras ações previstas no manejo populacional ético, previsto na Lei MG 21.970/2016 serão menores que os recursos demandados para as consequências da ausência de tudo isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*