Fernando Pimentel veta PL que proíbe testes em animais e descumpre compromisso assumido em campanha

Publicado em

Ativistas da causa animal entregaram hoje, 02 de abril, ao deputado estadual Durval Ângelo, líder do governo, documento que pede para derrubar o veto total do Governador Fernando Pimentel ao PL 2844/2015 que proíbe a utilização de animais para desenvolvimento, experimento e teste de produtos cosméticos e de higiene pessoal, perfumes e seus componentes no estado. O PL foi aprovado por unanimidade  em 1° turno no Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

“Destacamos que durante o período eleitoral, o então candidato ao governo de Minas Gerais assumiu publicamente seu compromisso com os animais, em seu panfleto de campanha, destacando no item 13 o uso de métodos substitutivos a estes testes”, ressalta Adriana Araújo, do MMDA. Entretanto, após a aprovação de duas importantes Leis estaduais, a 21.970/2016 e a 22.231/2016, ambas resultado de intensa mobilização popular, o governador se posicionou contra a proibição.

Alinhados com a União Européia, seis estados brasileiros já proibiram os testes em animais para cosméticos e material de higiene, sendo eles Amazonas, Pará, São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Rio de Janeiro. Resta aos deputados mineiros seguir o exemplo e  votar contra o veto do governador, acabando de vez com a tortura animal em Minas Gerais.

Se o veto for rejeitado, o governador ou a Assembleia promulgam a lei em defesa dos animais.

Marcas de cosméticos que não testam em animais

O consumo sustentável e ecologicamente correto é algo que impulsiona grandes marcas, inclusive no mercado da beleza. Com a evolução tecnológica, já não é possível aceitar que a indústria de cosméticos utilize animais como cobaias. Certos de que a vaidade não vale o custo de inúmeras vidas, consumidores cada vez mais conscientes se recusam a adquirir produtos resultantes de tamanho sofrimento. Em todo o mundo, o movimento contrário à prática se fortalece. A ONG internacional Cruelty Free regula e certifica os laboratórios e companhias que não utilizam cobaias, e as identifica com um selo com o desenho de um coelho.

No Brasil, a lei que regula a produção de cosméticos só permite o uso de cobaias em casos específicos, como para avaliar irritação e corrosão da pele, irritação ocular e toxicidade aguda. No Estado de São Paulo, empresas são proibidas de realizar testes em animais desde janeiro de 2014. Contudo, o mercado chinês é o maior incentivador da cultura da tortura animal. O país que possui o maior mercado de beleza do mundo, exige que os testes sejam realizados em cobaias vivas.

Apesar disso, inúmeras são as marcas que provam que realizar testes em animais se tornou uma opção e não uma necessidade. No site do PETA, organização que luta pelo direito dos animais, existe uma lista de todas as marcas certificadas pela organização. Entre elas estão Kat Von D, Marc Jacobs Beauty, Urban Decay, Too Faced, The Balm, BareMinerals, The BodyShop, Lush, Korres, Elf, NYX e Colourpop. O Projeto Esperança Animal (PEA) realiza levantamento anual de todas as marcas brasileiras que não realizam testes em animais. Na lista de 2017, publicada em agosto, constam marcas como Adcos, Bio Extratus, Contém 1g, Dailus, Dermage, Embelleze, Farmaervas, Granado, Impala, Latika, Natura e Grupo O Boticário (detentor das empresas Eudora, O Boticário, Quem Disse, Berenice? e The Beauty Box).

Vote CONTRA e registre seu comentário na página ALMG https://www.almg.gov.br/atividade_parlamentar/tramitacao_projetos/interna.html?a=2018&n=23863&t=VET&utm_source=Facebook&utm_medium=Btn-Compartilhar&utm_campaign=Compartilhar#_=_&aba=js_tabComentario

Liberte-se da crueldade!

3 comentários para “Fernando Pimentel veta PL que proíbe testes em animais e descumpre compromisso assumido em campanha

  1. Minas Gerais precida caminhar lado a lado com os SEIS Estados Brasileiros de vanguarda, que já aprovaram lei proibitiva quanto à perversa prática de se torturar indefesos seres para a beleza humana!

    #ALMGderrubevetoPL2844

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*